Fissura Anal: tratamento com Botox

5/27/2021

A fissura anal é uma das doenças mais comuns do ânus. Consistindo em uma ferida do canal anal que pode se estender da borda do ânus até a região mais interna, próximo ao reto. 

Acomete pessoas de todas as idades (é a causa mais comum de sangramento em crianças), mas tende a ser mais comum em adultos jovens. Aliás, ambos os sexos são igualmente afetados. 

A principal queixa e manifestação clínica da fissura anal é a intensa dor para evacuar, que pode ocorrer durante ou após a defecação. Assim, algumas vezes apresenta dor latejante intensa e incapacitante. Além disso, pode causar sangramento anal ou sangramento nas fezes, geralmente identificado na higiene anal.

Sangue nas fezes: tudo o que você precisa saber sobre o assunto

Fissura anal aguda

A fissura anal pode ser aguda, quando ocorre um atrito maior na região anal que machuca o tecido da parte interna do ânus, como exemplo podemos citar: 

  • Diarreia;
  • Evacuação de fezes muito grandes ou bem endurecidas;
  • Aplicação de papel higiênico com muita força durante a higiene;
  • Sexo anal sem lubrificação adequada;
  • Traumatismo local com objetos.

Fissura anal crônica

A fissura anal crônica é uma ulceração da fissura aguda. Ou seja, a fissura com o tempo fica mais profunda, com bordas mais grossas. Além disso, o tratamento com medicamentos tópicos como creme e pomadas tornam-se menos efetivos que no tratamento da fissura aguda. 

A justificativa para essa evolução clínica de cronificação da fissura está geralmente relacionada a um cuidado inadequado da fissura anal aguda. Também é motivada por uma força aumentada do músculo que envolve o ânus e confere a capacidade de controle da saída de fezes sólidas e líquidas, além dos gases. 

Esse músculo, ou melhor, conjunto de músculos, é o chamado esfíncter anal.

O tônus aumentado do esfíncter anal, ou como mencionei, a força de fechar o ânus exacerbada, faz um efeito de compressão e pinçamento dos vasos do canal anal. Assim, desencadeando um processo de falta de sangue no local (isquemia), o que prejudica o fechamento e adequada a cicatrização da fissura anal.

Associada a fissura anal crônica, é frequente identificarmos um excesso de pele na borda do ânus, chamado de plicoma anal. Isso pode causar incômodo local, coceira ou trazer dificuldade na higiene anal.

O que é o Plicoma Anal?

Botox como forma de tratamento

Os tratamentos convencionais costumam ser agressivos, dolorosos e causam afastamentos do trabalho. Desse modo, foi pensado num método que diminuísse temporariamente a força de contração do ânus, ou melhor, do esfíncter anal. Além disso, havia o intuito de propiciar o fechamento e cicatrização da fissura anal.

Esse método é a aplicação da toxina botulínica – Botox® no esfíncter anal. Assim, relaxa parcialmente a musculatura e auxilia no fechamento da fissura. Aliás, esse procedimento é realizado em centro cirúrgico sob sedação para trazer maior conforto ao paciente.

A aplicação de toxina botulínica para tratamento de fissura anal crônica apresenta aderência crescente entre os coloproctologista. Afinal, é um método pouco invasivo e que não desencadeia um cuidado pós-operatório muito intenso e trabalhoso.

O uso do Botox para fissura anal pode ser realizado em conjunto com a retirada do excesso de pele da borda do ânus – plicoma anal. Então, seja nos casos em que o paciente sinta um incômodo anal ou tenha uma preferência estética. 

Plástica Anal: Como funciona e quando fazer?

Se você precisar da avaliação procure um especialista em coloproctologia com o título de especialista conferido pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia.


Agende sua consulta agora.

Obrigado. Em breve entraremos em contato.
Ops... Alguma coisa deu errada. Tente atualizar a página.