O que causa dor no reto ou proctalgia fugaz?

3/29/2021

O nome dado para dor no reto é proctalgia. Trata-se de uma dor de moderada a forte intensidade que se origina de contrações espásticas dos músculos que envolvem a parte externa do reto, mais especificamente o músculo puborretal.

Tem a característica de aparecer subitamente, de forma aguda, compressiva em aperto ou cólica.


O que causa dor no reto ou proctalgia fugaz?

Os pacientes descrevem que sentem como se alguma coisa estivesse apertando, torcendo ou puxando o reto. O interessante é que essa dor no reto desaparece espontaneamente, da mesma forma que se inicia. A dor é localizada no ânus ou na parte baixa do reto, dura de segundos a alguns minutos e é comumente relacionada com a sensação de espasmo do esfíncter anal, causando uma sensação de peso na pelve.

É relatado que o paciente pode acordar durante a noite com essa dor forte e, pessoas que estão sentadas por longo período são forçadas a levantar-se subitamente devido a dor.  Às vezes, a dor é tão intensa que o paciente tem uma sensação de que vai desmaiar, com sudorese fria e palidez. Ocorre em proporção muito maior em mulheres do que em homens, e a incidência na população é muito mais frequente do que imaginamos, mas na maioria dos casos é de menor intensidade e dura poucos minutos, desta forma, essas pessoas não sentem a necessidade de procurar atendimento do coloproctologista.

Quando ocorre em crises repetidas e em maior frequência essa dor no reto é chamada de proctalgia fugaz, que pode ser desencadeada por:

- Estresse;

- Insônia;

- Constipação intestinal (intestino preso);

- Defecação de fezes endurecidas

- Atividade sexual anal;

Mas na maioria dos casos não se identifica claramente um fator precipitante principal. É descrito uma forte associação com outras doenças funcionais do intestino como a síndrome do intestino irritável ou cólon irritável.

Outras possíveis causas da dor no reto ou proctalgia fugaz

Outra possível causa do problema seria uma associação com lesões dos nervos pudendos que passam na região do períneo e ao redor do reto.

É ainda descrito episódios de proctalgia em pacientes do sexo feminino quando acontece a ovulação e irritação na cavidade pélvica pelo sangue que sai do folículo quando ele se rompe para liberar o óvulo.

Nestas pacientes do sexo feminino pode ainda existir endometriose intestinal que também pode se apresentar com episódios de proctalgia no período menstrual, porém trata-se de uma doença mais complexa que pode ser silenciosa, ou causar alterações do hábito intestinal, dor durante a relação sexual e dificuldade para evacuar.

A proctalgia fugaz possui uma forte correlação com pessoas estressadas, por haver um aumento da atividade simpática do sistema nervoso autônomo na região da musculatura interna do esfíncter anal. Outras associações de doenças relacionadas ao estado psicológico são depressão, transtorno obsessivo compulsivo, portadores de dor crônica, transtornos de ansiedade e síndrome do pânico.

Tratamento da dor no reto causada pela proctalgia

O diagnóstico da proctalgia fugaz é de exclusão, ou seja, é necessária uma avaliação detalhada e criteriosa do coloproctologista para descartar outras doenças anorretais que poderiam justificar essa dor retal.

O tratamento da dor no reto causada pela proctalgia fugaz foca na identificação e no controle dos fatores precipitantes e principais fatores de risco descritos, além da aplicação de métodos de reabilitação do assoalho pélvico para relaxamento da musculatura ao redor do reto, como o biofeedback.

Também podem ser utilizados medicamentos como antiespasmódicos, nitroglicerina tópica, benzodiazepínicos, bloqueadores do canal de cálcio, injeção local de toxina botulínica (Botox®), bloqueios dos nervos com anestésicos locais e uso de antidepressivos, que podem modular os neurotransmissores da dor.

Medidas não farmacológicas também podem auxiliar no controle dos sintomas como: banhos de assento com água morna e tratamento psicoterápico.

O tratamento cirúrgico é muito pouco empregado, por ser ainda de indicação controversa, que seria a secção de parte da musculatura do esfíncter anal para auxiliar no relaxamento da musculatura.

Se você precisar da avaliação de um especialista procure um coloproctologista com título de especialista conferido pela Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

Você sabe a diferença entre hemorroida e fissura?

  • Carrington EV, Popa SL, Chiarioni G. Proctalgia Syndromes: Update in Diagnosis and Management. Curr Gastroenterol Rep. 2020 Jun 9;22(7):35.  DOI: 10.1007/s11894-020-00768-0

Agende sua consulta agora.

Obrigado. Em breve entraremos em contato.
Ops... Alguma coisa deu errada. Tente atualizar a página.